Comprar uma casa é o objeto de consumo mais comum entre os brasileiros, ao lado de ter um carro. No entanto, muita gente se pergunta atualmente se é melhor pagar a parcela Minha Casa Minha Vida ou o aluguel de um imóvel.

Isso porque, fazendo as contas mensais, cada uma dessas opções pode ser mais ou menos atraente dependendo do seu contexto.

No entanto, se você tem o sonho da casa própria, é importante saber se é melhor pagar a parcela do Minha Casa Minha Vida ou alugar um imóvel. Afinal, assim você pode escolher o melhor cenário para você.

Quer aprender como avaliar essa questão? Então siga a leitura do artigo abaixo!

Qual é o custo médio de um aluguel de imóvel?

Para conseguirmos entender se o melhor é pagar a parcela do MCMV ou se faz mais sentido pagar aluguel, precisamos em primeiro lugar definir o custo das duas opções. Afinal, só assim dá para fazer um comparativo e ver o que é melhor para você.

De acordo com o Índice FipeZap, principal autoridade em termos de índices imobiliários, o preço médio de um aluguel em Florianópolis é de R$27,22 por metro quadrado.

Se você quiser alugar um imóvel de, digamos, 40 m², pagaría aproximadamente R$1.088,80 de aluguel, fora os custos de condomínio (caso se aplique), IPTU e seguro contra incêndio.

Considerando que os principais especialistas em segurança financeira recomendam que o aluguel da sua casa não seja superior a 30% da sua renda mensal, a sua composição familiar precisaria ser de R$3.629,34 por mês para poder alugar esse imóvel.

Como funciona a parcela do Minha Casa Minha Vida?

Agora que já vimos o custo médio de um aluguel, é hora de entender como funciona a parcela do Minha Casa Minha Vida e ver se ela é mais vantajosa.

O programa Minha Casa Minha Vida é uma iniciativa federal que permite que as pessoas tenham acesso facilitado a financiamentos imobiliários para comprar seus próprios apartamentos ou casas. Uma das condições especiais do programa, por exemplo, é a permissão de financiamento imobiliário para quem tem nome sujo na praça (mas apenas para quem esteja na Faixa 1).

A partir da Faixa 1,5, as condições de financiamento mudam, mas ainda são muito mais vantajosas do que outras opções do mercado.

Um exemplo disso é o subsídio governamental que ajuda a reduzir o valor da parcela que deve ser paga pelo comprador. Isso sem falar, claro, nas taxas de juros que ficam abaixo da média do mercado.

Para entender melhor como funciona Minha Casa Minha Vida e o valor das suas parcelas, façamos uma pequena simulação com 3 faixas do programa.

Na Faixa 1,5, a renda mensal máxima é de R$2.600,00. Nesse caso, a parcela mensal pode corresponder a 30% desse valor, chegando a R$780,00 no máximo.

Já na Faixa 2, a renda mensal bruta pode ir até R$4.000,00. Nesse caso, respeitando o limite de 30% da Lei de Comprometimento de Renda, a parcela poderia ser, no máximo, de R$ 990,00.

Por fim, na Faixa 3, a renda mensal bruta pode chegar a R$7.000,00. Isso geraria uma parcela máxima de R$1.450,00.

Vale mencionar que os valores das parcelas estão levando em consideração a idade de um participante de 30 anos e que optou por financiar na tabela Price, nos dois primeiros casos e SAC no último. 

É possível escolher o sistema de amortização, que pode ser a Tabela SAC ou Price, dependendo do seu perfil.

está relacionado também com o valor do imóvel. Por isso você não pagará, necessariamente, os valores mencionados, uma vez que eles são os limites máximos.

É possível pagar menos do que isso dependendo do sistema de amortização escolhido (que pode ser a Tabela SAC ou Price).

Qual a melhor opção para o seu caso?

Agora que já entendemos esses dois valores, é hora de compreender melhor qual é a opção mais vantajosa para você: a parcela do Minha Casa Minha Vida ou pagar aluguel.

Se você fez as contas, chegou à conclusão óbvia de que o melhor é pagar a parcela do MCMV. Isso porque esse tipo de financiamento imobiliário é para apartamentos mais baratos, com prestações de baixo custo e condições facilitadas.

Dependendo das contas feitas e das condições de financiamento obtidas, você pode acabar economizando 30%, 40% ou até mais, caso prefira comprar o imóvel pelo Minha Casa Minha Vida em vez de alugá-lo.

Além disso, quando terminar de pagar as prestações do financiamento, você terá um imóvel seu, como parte do seu patrimônio. Dependendo das condições, pode até vir a vendê-lo no futuro para comprar outro (embora já não poderá fazer isso pelo MCMV).

Enquanto isso, no aluguel, você pagará todos os meses e, no fim do contrato, ficará sem habitação e precisará achar outro imóvel, sem conseguir juntar dinheiro para realizar o sonho da casa própria.

Pronto, ficou convencido de que é mais vantajoso pagar a parcela do Minha Casa Minha Vida no seu caso? Se sim, então é hora de colocar o seu sonho em prática.

Se você está interessado em conhecer os melhores apartamentos disponíveis pelo MCMV Florianópolis, entre em contato com a gente imediatamente para saber como podemos ajudá-lo na realização do seu sonho!